sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

AMOR NO ESTADO BRUTO...

 
Pedra preciosa no estado bruto!
Invocado,
Significado,
O meu o teu, o que sinto e escuto.

Mais valioso, muito mais...
Que diamantes, esmeraldas, rubis,
Ouro! O amor que sempre quis,
O que sinto; meu a jamais!

Para todo sempre amor...
O nosso,
E posso,
Senti-lo, tê-lo, sem dor.

Amor no estado bruto que veio até mim.
Quero-o,
Espero-o,
Amor verdadeiro, primeiro, amor sem fim.

Nunca sonhei, ousei, tal amor ter!...
Assim como nunca o irei esquecer...

Amor no estado bruto!
Precioso, lindo, e puro!

SAXON   30-12-2011         MC.BATISTA

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

POEMA DE DESPEDIDA



Sento-me; fico horas sentada.
Penso e espero o que está para vir,
Uma despedida, o fim do sentir.
Sento-me fico horas sentada!
 
O meu corpo, agora, gelado;
A minha alma eterna melodia,
E eu, que estou fraca e fria,
Longe, distante, do outro lado.
 
 
Chove! São lágrimas que deslizam,
São as minhas! Ai são são...
Lágrimas de despedida, de solidão!
Não são pingos de chuva; são lágrimas minhas que deslizam!
 
Se alguém, algum dia duvidar,
Engana-se,
Desengane-se,
Nasci, sou real e sei chorar.
 
Como aquele sentimento condenado a não viver,
Que espera somente a despedida que está a chegar.
Eu, impávida e serena espero a chorar mas sem sofrer,
Não percebem? Não faz mal! Não dá para explicar!
 
Já faltou mais, muito mais...
As despedidas quase todas iguais!

SAXON    22-6-2011             MC.BATISTA

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

AMANHÃ

Sim amanhã!
Hoje não,
Estou cansada, frustrada...
Ninguém para me dar a mão!
Ou, talvez seja eu que não a quero.
Não quero uma mão qualquer,
Quero a tua! Mas não a tenho.
Sim amanhã...
Virá linda, perfumada, cheia de cor.
Revelar-se-a para mim,
E eu, olharei para ela! Quero-a receber,
Mas só amanhã!
Hoje fico; fico aqui com a minha dor.
Amanhã sentirei a tua mão,
O teu corpo, o teu coração,
E fluirá todo o sentir acumulado,
Querido, desejado, esperado.
Vou dormir...
Para amanhã,
Só amanhã!
Voltar a sorrir.

SAXON   28-12-2011       MC.BATISTA

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

COMME D'ABITUDE!

 
Moi; comme d'abitude.
Toujours moi toute seul.
Il ya plain de gens partout,
Et comme d'abitude moi et moi.
Je marche en avant,
Pas a pas dans la vie,
J'essaye de passer par dessus les obstacles,
Il ya des parcours différents,
De chemins différents,
Moi; j'ai le mien.
Comme d'abitude,
Et à chaque fois dans la solitude.
Comme d'abitude je pense à toi,
Comme toujours à toi.
Je une espoir,
Mais petit à petit elle s'en va.
Comme d'abitude!

SAXON 28-8-2011 MC.BATISTA

E SE ME ESQUECES???

 
Se sou levada pelo vento...
Se fico lembrança,
Perdida sem esperança,
Se sou só um momento!?

Bonito, feliz, momento meu.
Iluminado,
Sonhado,
E meu, só meu não teu!

E se me esqueces?...
O que fazer?
Irei sobreviver?
E se me esqueces!...

Serei então folha seca.
Morta, esquecida,
Eu folha perdida,
A quem nunca deixaram viver!

Não me esqueças,
Quero ser mar...
Quero ser ar...
Que em mim permaneças.

E se me esqueceres!...
Recorda-me a sorrir,
Como o sol a surgir,
Na nascente dos quereres...

SAXON    26-12-2011      MC.BATISTA

domingo, 25 de dezembro de 2011

PARA SEMPRE

 
Nas asas do tempo deixar-me ir...
Enlouquecer,
Esquecer,
Em ti existir.

Perpetuar-me em ti,
Correr na tua direcção,
Fechar os olhos e ouvir só o teu coração.
Apressar-me a esquecer tudo que vivi!

Para sempre é muito tempo.
Eu sei!
Mas nunca te esquecerei,
A ti minha imagem meu alento.

Nas noites nos dias...
No simples, no desejo,
No puro, no que vejo,
Contigo todos os dias.

Para sempre...
Me entregar,
Para sempre...
Em ti amar.

SAXON    26-12-2011      MC.BATISTA

ESTOU!...

 
Hoje estou...
Feliz e triste mais triste que feliz!
Tenho e não tenho o que sempre quis,
Um natal que para mim olhou.

Ouço Passos que vem devagar...
Entram no meu sonho, no meu dormir,
São os teus! Pé ente pé me vens cobrir,
Sem barulho para não me acordar.

Estou... estou aqui!
Tu; estás também,
Meu natal e dos que te têm,
Eu tenho-te desde que te senti.

Hoje e sempre o natal vou viver...
A distancia apenas uma situação.
Tu; presença contínua no meu coração,
Coração que aos poucos estava a morrer.

Estou!... Feliz e triste,
Mais triste que feliz mas estou!

Estás!... Estás em mim,
Encontrei-te; serás meu até ao fim.

Um natal sem igual.
O meu natal bem real.

SAXON   25-12-2011        MC.BATISTA

sábado, 24 de dezembro de 2011

ESTRELA DE NATAL



Brilha, reina é a maior...
A ela me confio,
Entrego o meu desafio,
Nesta e noutras noites o meu calor.

É pura a minha estrela de natal!
É genuína, terna, doce...
Queria toca-la uma vez que fosse,
Para nunca esquecer que é real.

Nesta noite queria poder alcança-la,
Senti-la perto tão perto de mim,
A esta distancia poder por fim,
Ter o seu brilho aqui e abraça-la.

Minha estrela! Meu natal todos os dias,
Ilumina-me! Nunca deixes de o fazer,
És toda a minha vida não quero morrer,
Em ti e por ti suporto noites e noites frias.

Olho-te ao longe... vejo o teu brilhar...
Sinto-te tão perto mas sem te tocar!

SAXON   24-12-2011        MC.BATISTA

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

SAUDADE

 
Dos beijos que nunca te dei,
De momentos nunca partilhados,
Mas queridos, desejados, sonhados!
Saudades tuas por quem sempre esperei.

Saudades do teu corpo que nunca vi,
Saudades de em ti ser...
De ir mais além e querer,
O que sempre soube mas nunca senti.

Minha alma minha inspiração,
Cada segundo,
Um mundo,
Longe do teu coração.

Saudade do que há-de vir,
Saudade do que se passou,
Tuas, quando contigo não estou,
Meu semelhante meu sorrir.

Saudades imensas sem um fim!...
Dos teus olhos desse olhar,
Saudades de tanto te amar,
Vem!... Toca em mim.

Saudades... de nunca te ter tido!
Saudades do tempo que sem ti é perdido!

SAXON   24-12-2011           MC.BATISTA

A MINHA VIDA

 
Montanha russa que gira, gira...
Impaciente!
Exigente!
A minha vida; tão nova e tão sofrida.
 
Já vi e vivi dias de sol, de calor,
Dias frios, vazios, dias de dor.
Terei ainda; eu sei,
Muitos mais...Dias iguais,
Mas sabendo o que já passei.
 
A minha vida é minha! Quero-a,
Serei egoista, porque a quero!?
Nunca tive nada do que quis!
Fui fraca,
Tornei-me opaca,
Nunca fui verdadeiramente feliz.
 
Quero viver e vou viver...
Serei eu sem ter que me esconder.
Irei ver o o que nunca vi!
O novo abraçar,
Quero-o amar... amar... amar...
Sentir o que nunca senti!
Nunca mais ficarei na sombra na escuridão,
Olharei  para o futuro dar-lhe-ei a mão,
Porque o quero!
Quero-te!!!

SAXON   23-12-2011      MC.BATISTA

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O MEU DESERTO

 
Agora, sem sonhos...
Nem miragens deles,
Não há oásis onde possa beber.
O vento que sopra seco,
Como pouco a pouco seca estou eu!
Dunas e mais dunas de areia,
Barreiras que terei que ultrapassar,
Como os obstáculos da vida,
Com os quais me estou sempre a deparar.
A minha vida é um deserto!
Ou o deserto da minha vida!
Desprovida de emoções,
Essas, ficaram lá trás,
Com o passar do tempo retidas em ti.
Não há o azul que antes havia,
Deu lugar ao castanho da areia,
Do deserto que a minha vida se tornou.
Mesmo sem alento,
Perdida, cansada,
Sem saber ao certo onde ir,
Continuo, devo avançar...
Nem por segundos penso desistir.
O deserto, esse, o único que me restou!

MIRANDELA 14-8-2011 MC.BATISTA

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

PERCORRO-TE!!!

 
Bebo dos teus lábios,
Olho-me nos teus olhos,
Respiro em ti...
Suplício de não te ter aqui!
Mas percorro-te! Em mim,
Corres nas minhas veias até ao fim.
És meu, sou tua; semelhantes!
Dois num só eternos amantes.
Nas noites claras de luar,
Unidos pele com pele vamos nos amar...
Em noites frias, escuras,
Noites quentes de loucuras.
Percorro-te! Percorres-me! Percorremos!
Este mundo e o outro, o universo e sabemos!...
Percorro-te suavemente mas com fervor,
Com vontade, com desejo, com amor.
A química de semelhantes revelou-se!
O meu eu que és tu; soltou-se!
Percorro-te...
Percorres-me...
Sei! Sinto-te!
Percorres-me...

SAXON   20-12-2011        MC.BATISTA

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

SONHEI-TE... ENCONTREI-TE...



A ti meu amor!
Que te sonhei,
Que te encontrei,
Minha luz meu calor!

Dar-te-ei punhados de felicidade...
Amor e prazer,
O gosto de viver,
O respeito e a minha lealdade.

Compara a ti nada sou!
Sou simplesmente eu!
A Maria do céu,
Que contigo sempre sonhou.

A menina que sonhava...
Que dançava no vento,
Escrevia esperando o momento,
O momento da tua chegada.

Fui a adolescente rebelião!
Impaciente,
Carente,
Que procurava a sua razão!

Que te procurava a ti!
Em cada raiar de dia,
Em cada frase que escrevia,
Em tudo.. e nunca te vi!

Sou agora mulher.
Que de tanto sonhar...
Que de tanto te chamar,
Acabaste por aparecer.

Sonhei-te...
Encontrei-te...

SAXON    19-12-2011        MC.BATISTA

domingo, 18 de dezembro de 2011

DESCOBRE-ME

 
 
Estou aqui!
Sou eu corpo frio,
Um arrepio,
Estou aqui!
Não me ouves?
Chamo por ti,
Eu, que nunca te vi,
Espero que me descubras!
Vem meu sonho, talvez ilusão,
A que crio, que faço,
Neste perpétuar de tempo...
Neste espaço!
Descobre-me...
Entra em mim,
Ao meu sonho põe fim.
Descobre-me, descobre-me...
Quero deixar de ser transparente,
Sentir o teu toque em ti tocar.
Descobre-me; quero-te amar,
Quero que saias da minha mente,
Que sejas real!
Meu, meu igual!

SAXON   18-12-2011       MC.BATISTA

sábado, 17 de dezembro de 2011

AMOR NÃO É PAIXÃO


Amor é dar gratuitamente.
Paixão é instante,
Impulso fulminante,
O amor... Pureza no que se sente.

Paixão é um não resistir.
Na paixão ardes,
Mas não sabes,
O que virá a seguir.

No amor confias...
Faz parte de ti,
Olhas e está aqui,
O sentimento que tanto querias.

Paixão leva-nos a loucura.
Faz-nos levitar,
Esquecemos de olhar,
Para a verdadeira procura.


Amor é sereno!
Luz que brilha,
É a partilha,
Sentimento pleno.

Amor não é paixão.
É mais muito mais...
Sentimentos iguais,
Unidos numa eterna fusão.

Amor... permanece.
Paixão...vai,
Chega e sai.
O amor... enriquece!

SAXON  17-12-2011    MC.BATISTA

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A UM PASSO!!!


 
A um passo...
Curioso a um passo!
De ganhar,
Ou de perder,
De sonhar,
Ou de esquecer.
Eu; estou a um passo,
 Mas de quê!?
Vagueio,
Só com os meus pensamentos,
Sei que estou a um passo,
Mas do quê!!!???
 
O que eu queria,
Ah, o que eu queria...
Poder libertar-me.
Não estar a um passo de nada,
Ser simplesmente eu,
Que me vissem a mim!
É difícil estar a um passo.
Verem-te como um passo!
E se eu não der?
Ou não quiser,
Dar,
Estar,
A um passo!?
Quem me dera voar...
Ao invés de estar a um passo!
Porém a vida nem sempre,
Quase nunca;
É como queremos!
O que queria mesmo,
Era estar a um passo de ser feliz...
De ver felicidade a minha volta,
Sentir que no mundo há humanidade,
Que afinal não é como se diz!

SAXON 7-9-2011 MC.BATISTA

INFINITO...



Oçeanos...
Vagas de amor,
Constelações de beijos,
Dunas de abraços...
Tudo só para ti!
Poria o infinito a teus pés.
Colheria a mais bela flor,
Daria asas aos teus desejos,
Seria repouso para os teus cansaços,
Lava ardente desde que te vi!
Como o infinito nunca acaba...
Tudo que possa dizer será pouco.
Entre recordações e realidades,
Sou tua! Tua "escrava".
"Escrava" deste amor sentir tão louco,
E destas tão grandes saudades.
Um infinito de amor e bem estar.
Desejo-te tempestades de alegria,
Maremotos inegualaveis de prazer,
Lufadas de respeito sempre a abundar,
Um céu de felicidade dia a dia.
Montanhas de sorrisos, convém nunca esquecer!
O infinito do infinito...
Tudo quanto há de mais bonito!

SAXON 4-10-2011 MC.BATISTA

MENINA QUE SONHAS

 
Nunca deixes de o fazer.
Agarra todas as estrelas,
Uma a uma,
Todas quantas há no céu.
Olha como são belas...!
Tinge a tua vida de cores alegres,
Aceita o que tem para te oferecer,
Nunca renuncies a sorrir,
A fazer o que achas melhor.
A ser tu!
Menina, sonha, sonha...
Enquanto sonhas o teu mundo avança.
Imanas o perfume do sentir,
Aos poucos e poucos a vida ganha cor,
Nasçem amores, consegues viver...
Nas tuas mãos delicadas,
De menina mulher,
Seguras os meus sonhos,
Sem nunca os perder.
Menina não deixes de sonhar...
Leva-os todos até ao fim,
Contigo estou a contar,
Pois és parte de mim!

SAXON 19-10-2011 MC.BATISTA

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

EM FUNCÃO DE...

Gira o mundo.
Criam-se guerras, travam-se batalhas,
Derrama-se sangue!
Sangue vivo de seres vivos, o nosso.
Em função de...
Interesses propósitos sem propósito algum!
Eu; mais um ser! Ser comum,
Respondo com amor, com carinho...
Em função de... tanta coisa; odeia-se.
Eu amo!
Chora-se, sofre-se, mente-se!...
Eu sorrio, sofro também mas uso a verdade.
Despedaçam a alma, cortam-na, fazem-na sangrar!
Eu ser insignificante, comum, que nada posso.
Colo-a, pedaço a pedaço, dou-lhe atenção.
É minha! É a minha fonte de inspiração.
Em função de... gira o mundo sem sinceridade.
Mundo que se está a destruir, que se está a apagar!
Eu tenho um mundo! Meu...
Onde reina a lealdade, existem valores.
Em função deles, há sorrisos, vitórias,
Esforços, abundam conquistas, alegrias...
No meu mundo! Mundo de sonhadores.
No extremo oposto do mundo; há o meu!
Em função de... gira o mundo,
Sem pararem para pensar um só segundo.
Em função do respeito e amor giro eu!

SAXON    14-12-2011      MC.BATISTA

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

CORPOS SUADOS



Gastos de sentirem tanto...
Suados,
Cansados,
Exaustos num manto!

Num manto de seda,
Com um perfume no ar...
Exaltados! Corpos a respirar,
Tomados numa labareda.

Que se propaga!...
Ao universo,
Disperso,
E não se apaga!

Corpos suados de querer.
De existirem,
Sentirem,
O mesmo viver.

Espaços em branco...
Preenchidos unidos,
Corpos suados amigos,
De se quererem tanto!

... O meu o teu os nossos...
... Semelhantes suados...

SAXON     13-12-2011     MC.BATISTA

DESTE-ME...

O que nem sei explicar!
Devolveste-me o sentir,
A alegria o meu sorrir,
A vontade de voltar a amar.

Em ti me completo,
Ganhei mais uma razão para viver,
Mais um motivo para o passado esquecer,
Serei um livro! Um livro aberto.


Deste-me o que sempre sonhei.
O que sempre pensei impossível,
Uma vontade louca e apetecível,
De ir ao encontro do que esperei.

Quero ser o que sou.
Não quero ser diferente,
Dar-me a quem me olhou,
A ti; que me viste realmente.

Sou tua!
A ti me entrego,
E não nego,
Sou tua tua tua!...

SAXON    13-12-2011      MC.BATISTA

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

QUE AMOR É ESTE!?...

 
 
 
Que transborda de mim!...
Ser dado como morto, frio,
Gelado,
Castigado,
Cansado de amar.
Que amor é este que me invadiu?
Que me fez renascer,
Crescer, querer...
Um amor que do nada surgiu.
Fusão de almas,
Complemento de sentidos,
Esperados sonhados queridos.
Meus! Tão meus!
Um esperar,
Sem nada esperar...
Ganhar asas e ir,
De encontro a ele,
Rumo ao infinito, aquele!
Onde ainda posso sorrir.
Que amor é este?
A quem tudo dou,
Que a minha alma roubou,
O que sinto! Amor! Este...

SAXON   12-12-2011        MC.BATISTA

domingo, 11 de dezembro de 2011

INESPERADO

 
Acontece pois!...
O inesperado chega,
Sem porquês nem restrições.
Olha-o!
Fixa-o!
Vive-o não o deixes para depois.
Aconteceu comigo,
Com as minhas emoções.
Olhei-o fixamente,
Permiti que chaga-se até mim,
Que me enche-se de luz e cor,
Quis entrar na minha vida e;
Eu deixei!
Há quanto tempo esperava por ele!
Já quase o tinha esquecido,
Lá perdido...
No baú das recordações,
Porém sem pensar a ele me entreguei.
O inesperado apareceu,
De mim não se esqueceu.
O inesperado...
Acontece pois!...

SAXON 30-8-2011 MC.BATISTA

INSTINTO

 
O meu...
Voraz devorador,
Que por vezes trás-me dor,
Porém continuo sou eu...

... Eu no que sinto no ar,
Que respiro para viver,
Instinto de sobreviver,
De ir mais além e sonhar...

Como nos contos de fadas.
Como aquela folha que voa,
Mesmo seca quase morta, voa!
Renasce sem se sentir castigada.

Instinto!...
Faminto!...

De mais,
Do belo da busca,
Que me assusta,
Que de mim sais!

Instinto o meu...
Mas não sei;
Se verídico ou se o sonhei!
Instinto coberto por um véu!

Real ou sonhado,
Pouco importa!
Bateu-me á porta,
Abri; pois é desejado.

SAXON   11-12-2011        MC.BATISTA

MEU VENENO BOM!!!


Quero beber-te beber-te beber-te...
Em ti me afogar!
Quero amar amar amar...
Desnudada ter-te ter-te ter-te!...

Sem deixar de ser quem sou,
Sem medos ir simplesmente ir...
Possuir-te! Acabar por no teu corpo sucumbir,
Abrir os olhos e ver que contigo estou.

Meu!
Veneno,
Sereno,
Bom, meu!!!

Fazes-me sentir o que nunca senti,
Olhar como e para onde nunca olhei,
Ah! Meu veneno bom como te esperei,
Mas só agora neste instante te vi.

Entrega-te a mim...
                                                                        Diz-me que sim!...

SAXON    11-12-2011      MC.BATISTA

sábado, 10 de dezembro de 2011

NÓS!!!

Nós engodados,
Entrelaçados!
Nós...
Uma vida repleta deles,
E eu; sem saber como os desatar.
Nós e mais nós! Eles,
Nós... que eram estalos,
Bofetadas da vida para reagir!
Para não me entregar,
Não desistir de ser, e continuar...
Foram tantos...
Ainda os sinto!
A cada passo uns quantos.
Nós... bofetadas; não minto!
Caí; muito provavelmente ainda o pode vir acontecer,
Que caía e volte a cair outra vez, mas agora sei!
Um a um irei os desfazer e levatarme-ei.
Já os conheço de cór,
Podem até apertar-me,
Mas só eu, eu só! Lavada em suor,
Irei conseguir libertar-me.
 
Os nós!!! Nós da vida,
A de tantos, a minha sofrida!
A todos eles vou desapertando,
Primitindo até de ir sonhando...

SAXON    10-12-2011       MC.BATISTA

SUBTILEZA DE AMAR

Amar... O puro o belo amar...
Montanhas, vales, rios e mares.
Amar... o passado o presente e o futuro,
Cada segundo que nos é oferecido.
Amar... um gesto um olhar,
Até um sonho esquecido!
Amar... com a subtileza de amar...
Entregar subtilmente,
O corpo a alma o ser!
Respirar ardentemente,
A vida, o instante e viver,
Na imensidão do universo...
Confesso!
Tantas as vezes que nunca amei,
Tantas as vezes que queria,
Tantas e tantas as vezes que chorei,
Por sentir o que sentia!
Agora? Sim; só agora,
A subtileza do amor senti,
A subtileza de amar contigo aprendi.
Despertou em mim um sentir,
Mais que um querer...
A subtileza de dar, de ofertar,
A subtileza pura de amar...

SAXON     10-12-2011      MC.BATISTA

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

SORRIR

 
Sorrir é imperativo.
Deixar de lado,
Um pouco á parte,
Seja o que for,
Que nos impeça de sorrir.
 
Sorrir...
 
Hoje,
Amanhã,
Depois,
Sorrir pelo ontem!
Lábios que se descolam para um sorriso,
Boca que desabrocha sempre que é preciso,
Coração que agradece.
O sol, aos poucos vai chegando,
Iluminando a nossa vida.
Cada sorriso;
Um raio de luz que vai entrando.
Com o sorrir uma vida pode ser gerida!
Então sorri.
Tu,
Eu,
Vamos todos sorrir...

SAXON 22-9-2011 MC.BATISTA

COM O PASSAR DO TEMPO

 
Vivi...
Passei tormentos,
E alegrias também.
O tempo foi passando,
Aprendi como aprendi!
Nada fácil,
Não o é para ninguém.
Tenho consçiençia do que fiz de mal,
Sorrio recordando o que fiz certo,
E sem saber o que me irá acontecer,
Não fujo as minhas responsabilidades,
Ao que acho correcto,
Sei que irei conseguir.
Vivi dias de dor e sofrimento,
Ultrapassei oceanos de lágrimas,
Montanhas de desgostos,
Vulcões de ódios...
Senti na pele o que é uma desilusão!
 
Com o passar do tempo...
 
Fui aprendendo,
Gosto de aprender,
É tão gratificante,
Quanto! Mas também sofredor.
Resumindo.
Com o passar do tempo,
Aprendi,
Aprendi a viver.
Com o passar do tempo,
Nunca te esqueci,
Provavelmente nem irei esquecer.
 
Com o passar do tempo...
 
Tanto ainda para aprender!

SAXON 11-9-2011 MC.BATISTA

MAIS UM DIA...

 
Mais um dia que passou
Um outro que está a chegar
O sol que se deitou
A noite  a acordar.
 
Cada momento que vivemos
Uma dádiva, a maior
Mesmo se sofremos
Não fará dele o pior.
 
Há que a cada dia sorrir
Encara-lo com boa disposição
Por nada, de nada desistir
Olha-lo com amor e paixão.
 
Se houver algum tipo de problema
Só temos que tentar resolver
É difícil pode tornar-se um dilema
Se por ele nos deixar-mos absorver.
 
Importante é nunca deixar de amar
De sorrir e de querer
De para cada dia olhar
E sentir que vale a pena VIVER...

SAXON 28-9-2011 MC.BATISTA

NOS TEUS OLHOS



São teus não meus!
Vêem,
Imortalizam momentos,
Dão cor ao que olhas.
Como eu queria também ter cor!
Olhos que não vêem...
            ...
Porém, os teus em mim ficaram gravados.
Imponentes, brilhantes,
Como quando me olhavas,
Como eu me sentia quando olhada por ti.
A grandeza dos teus olhos,
O carinho que transmitem,
São refúgio do gelo,
Deste gelo que por vezes sinto.
Os teus olhos...
 ... Lagoas onde me banho,
Onde me desnudo,
Onde me transpareço.
Mas aos teus olhos queria ser...
Ser... o que nunca fui,
Raio de sol,
De luar,
Estrela cadente,
O mais belo acordar.
E nos teus olhos me perco,
Entre labirintos de sonho,
Ruas de ilusão,
Fogo ardente,
Ardente como um vulcão.
Os teus olhos...
 ... Teus.
Mas tão meus.

SAXON 15-10-2011 MC.BATISTA

TUDO OU NADA?!...

 
 
 
Sem meio termo,
É tudo ou nada.
Mas quem disse isso?
Não o sei,
Também nem quero saber!
Tudo que poderei ter,
Nada que de concreto tenho,
A não ser o ar que respiro,
E até esse! Até quando?...
Observo atentamente,
Mesmo atentamente,
O que me rodeia para não me enganar.
Penso e repenso e talvez sonhando,
Mas com os pés no chão,
Sem perder o fio á meada,
Lá chego a uma conclusão.
Na vida é tudo ou nada!
Com pouca margem para errar.
Então; onde fica o sonho?
Pois o sonho!...
Tem que se viver.
Porém, acho eu!
Talvez erradamente,
De quando em vez temos que nos abstrair.
Sonhar sim,
Contudo sem o principal esquecer.
E o que é o principal?
Valores, sentimentos, acções...
E lá está! Convém deles não fugir.
Na vida...
Meio termo;
É difícil, mas há excepções.
Pertencer a elas deve ser excpçional.
Eu adoro sonhar....
E sonho!
Porém com os pés bem açentes no chão.
Porque meios termos são excepções!
E o tudo ou nada...

SAXON 21-10-2011 MC.BATISTA

SONHOS EQUECIDOS

 

Tantos sonhos ficaram esquecidos
Tantos sonhos por realizar
Outros tantos perdidos
Tantos ainda por sonhar.

São sonhos sonhos meus
Todos eles nascem em mim
Como tal não lhes digo adeus
Um até já nunca um fim.

Sonhei ontem que é passado
Sonho hoje para amanhã conseguir
Sonhos perdidos mas nunca de lado
Irá chegar o dia que possam existir.

Espero pacientemente esse dia
Também! Sempre o esperei
Talvez não com tanta alegria
Mas agora sei que os realizarei.

Poderá nem ser nada fácil
Quem disser o contrário mente
Quando decidido nada é difícil
Basta portanto deseja-lo realmente.

Tive sim sonhos que quase esqueci
Perdidos no escuro sem uma luz ver
Eram meus como tal com eles vivi
Escondidos em mim mas sem morrer.

Sonhos, metas, objectivos, ideais
Todos reunidos num só bem melhor
Um o suficiente para quê querer mais!?
Podendo assim consagrar-lhe mais amor.

Sonhos perdidos
Jamais esquecidos
Sonhos tao queridos
Para sempre amigos.

SAXON 25-10-2011 MC.BATISTA

SINTO-TE!!!


No ar que respiro...
Suspiro! Contigo.
Na brisa que me acarinha,
O rosto o corpo alma minha.
No sol que me aquece,
Fogo que me estremece.
Na luz do dia a dia,
Como queria como queria!
Na noite escura na escuridão,
Vejo-te sinto-te minha dimensão.
Nas noites claras de luar,
Timidamente teus lábios venho beijar.
Na chuva que no meu corpo cai,
Que desliza em mim mas não sai.
A todo o tempo a cada segundo,
Poesia arte o meu profundo.
Pressinto-te!!!...
Sinto-te!!!...

SAXON    9-12-2011       MC.BATISTA

CÉU AZUL


Límpido; azul...
Sem nuvens para o azul ofuscar.
Ali estou eu a olha-lo,
A admira-lo...
O céu azul!
O meu céu! Parecendo que me vem abraçar.
E na noite, o azul não termina,
Continua azul, sei que está lá!
Entre estrelas,
Com elas,
Bebé, criança, menina.
Céu azul sempre lá!
Nele me passeio...
Anseio,
Nunca mais sair.
Do meu céu azul infinito,
Meu, bonito...
Nele quero cair.
Olha-lo!
Uma vez,
E outra, e outra vez...
Sem o gastar reponho-o!
Não me pertence só a mim,
Tenho essa noção,
É meu e da multidão,
Que o admira, que o olha até ao fim.
Céu azul que lindo que és!
Vejo-te,
Desejo-te,
E aqui estou a teus pés!
Meu céu azul...
Azul céu meu...

SAXON    9-12-2011       MC.BATISTA

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

DEI-ME CONTA!


Que o ontem é passado,
Triste e amargurado.
 
Que o presente vive-se,
Sem perguntas vive-se.
 
Que o futuro poderá ser...
É intregarmo-nos e viver!
 
Dei-me conta que o dia a dia,
É um leque de surpresas que se cria,
Boas ou más; um mistério...
 
Dei-me conta que tudo fica a nosso critério!
 
Há tanta coisa que poderá acontecer,
Sonhos oportunidades, é só querer.
 
Dei-me conta que tu és o meu melhor,
O meu alimento o meu grande amor....
 
Aos poucos fui-me dando conta,
De tanto...!!!
 
Dei conta; que o mais importante é amar,
Amar cada milímetro da vida, mas amar...


SAXON     8-12-2011       MC.BATISTA

QUANDO???

 
Quando virá o repouso?
Irá demorar muito!?
A cada nascer de sol,
A cada cair de noite,
Espero...
 
Ciclo vicioso este o de esperar!

Espero tanto...
Sempre foi assim, esperar!
Que me vejam,
Que oiçam,
No fundo que me queiram.
 
Por vezes até me vêem,
Até me ouvem,
Até me querem.
Sendo assim:
- Eu é que já me habituei ao esperar.
Pobre de mim!!!
Que espero mas até quando?
 
Quero repousar!...
Numa nuvem,
No silêncio absoluto,
Lá longe!...
Onde não há ninguém...
Onde não existem problemas,
Onde não existem interesses,
Nem dores de cabeça.
Lá na minha nuvem,
A que eu criei!
Distante...
Longínqua...
Contudo a minha nuvem.
Mas até quando terei que esperar?

MIRANDELA 8-8-2011 MC.BATISTA

LIBRE ARBITRIO

 
 
Cada um pensa, age como entender
Porém difícil de no momento certo decidir
Todos nós temos que na vida escolher
O caminho mais correcto a seguir.
 
Neste tempo uma grande lição aprendi
Nada é como realmente queremos
E só agora isso mesmo compreendi
Na vida só temos o que escolhemos.
 
Devemos então sem precipitações
Passo á passo na vida avançar
Não nós fiarmos muito as emoções
Contudo, também sem as abandonar.
 
O livre arbítrio assim é
Assumir as nossas responsabilidades
Ver e viver a vida tal qual ela é
Sem descorar as nossas qualidades.
 
Pensar duas vezes antes de fazer
Para que depois não se sofra as consequençias
No entanto a felicidade não se pode perder
É o mais importante das nossas existençias.


SAXON 28-10-2011 MC.BATISTA.

MELODIA DO AMOR

 

 
Harmoniosa, uma bela canção,
Esta a que invade o meu ser,
O amor voltou ao meu coração,
E por ele vou-me deixar envolver.
 
Ouço de novo a melodia do amor,
Que com as suas notas me enibria,
Enchendo outra vez a minha vida de cor,
Afastando a escuridão em que vivia.
 
O sol reapareceu voltou a brilhar,
Esta a única melodia que consigo ouvir,
Passo todas as horas do dia a amar,
Graças a ti pouco a pouco voltei a sorrir.
 
Só não quero que esta melodia acabe,
Quero acreditar que isso não vá acontecer,
Hoje estou aqui amanhã quem sabe,
Esteja mais perto da felicidade viver.
 
SAXON 5-12-2011 MC.BATISTA

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

AMOR VIRTUAL

 
 
... Completo.
Inteiro,
Verdadeiro,
... Honesto.
Fogo, paixão, amor...
Um todo, indescritível,
Meu... Invisível,
Fogo paixão amor...
 
Soa a estranho sem o ser,
Nasce do sentimento,
E dá força,  alento,
Para uma nova vida viver.
Meu amor!... Amor meu...
Virtual,
Inusual,
Real,
Meu...
 
Tu e eu...!!!
 
Descobri a minha alma,
Do outro lado,
O Inesperado
Trouxe-me a calma!
 
Virtual mas amor...
Fogo paixão amor...

SAXON    7-12-2011     MC.BATISTA

SONHEI!!!

Ontem sonhei...
Como fundo nuvens, o luar,
Estrelas, constelações para admirar,
E o semelhante que esperei!
Sonhei! Sonhei... fui eu;
Era o meu sonho adormecido,
Em nuvens e no luar sem estar esquecido,
Sonho... sonho meu!...
Sonhei!? Ou foi real?
Para quê saber?
Sonhei e não o vou esquecer,
Como ele nunca outro igual.
Sonhei!
Acordei,
Admirei,
Sonhei!
E foi bom tão bom!
Nós,
Sós,
Semelhantes, foi bom!

SAXON    7-12-2011      MC.BATISTA

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

ILUSÕES

Quem nunca as teve!?
Eu mulher...
Perdida,
Escondida,
Esquecida.
Tenho! Como as tenho!
Alucinações,
Escaldões,
Ilusões.
As que faço que vão aparecendo,
Que partem de mim,
Deste meu ser.
E porque tenho que ser assim?
Sem elas (ilusões) tão mais fácil viver.
Estrelas que passam e tento agarrar,
Cintilantes inalcansáveis...
... Minhas ilusões minhas!
Talvez; digo talvez porque não o sei.
O que seria a vida sem elas?
Alucinações,
Escaldões,
Ilusões.
Fria e amarga sem luar,
Sem estrelas para agarrar.
É certo que tenho ilusões e terei.
Doces ou amargas,
Quentes ou frias...
... Minhas! Só minhas de mais ninguém.
Alucinações,
Escaldões,
Ilusões,
Que sinto e irei sentir,
Porém delas não vou fugir.
Estrelas que passam sem as agarrar mas olho-as; faz tão bem!

SAXON    6-12-2011       MC.BATISTA

AS VOLTAS DA VIDA!...

As voltas que a vida dá!!!
Rodopia, gira sempre a mudar.
Vive-se o incerto,
Que é o concreto,
O mistério de acordar.
Acordas!...
... E tudo pode acontecer.
Ontem o era,
Hoje o sou,
Amanhã serei...
Ontem vida severa.
Hoje vida que mudou.
Amanhã vida!...
A certeza que não mudarei.
As voltas que a vida dá!!!
Sorrir,
Chorar,
Viver...
Há vida nunca fugir,
Sem medo de a enfrentar,
Agarra-la; e tudo pode acontecer!
Voltas! As voltas da vida.
Não só as minhas,
Também as da vida,
Grandes ou pequeninas.
As voltas que a vida dá!!!

SAXON    6-12-2011  MC.BATISTA 

SEM OUSAR DIZER!...




Neste compasso de espera,
Que é a vida!
Nunca ousei dizer tanta coisa...
Limitando-me a olhar,
A querer,
E a sentir.
E senti, como senti!
Vontade de gritar,
De esquecer,
De fugir.
Mas sem nunca ousar dizer!
Também sem nunca o fazer!
Se tivesse ousado será que algo mudaria?
Não o sei, pois nunca o ousei!
Eu que não ousava porque não sabia.
Que ousar é viver sem medo,
É enfrentar os desafios sem fraquejar,
E ver que é sempre cedo.
O importante é nunca deixar de ousar!
Agora, que tal percebi,
Só tenho que ousar.
Ousar dizer...
Ousar fazer...
Ousar sorrir,
Sem desistir.
Neste compasso de espera,
Que é a vida!
Ousar,
Ousar viver...


SAXON 24-10-2011 MC.BATISTA.

NOSTALGIA



A chuva que ja caiu,
O sol que me aqueçeu,
Aquele tempo que me fugiu,
Que foi meu tão meu.
 
Primavera em flor,
Com cheiro a mimosas,
Cada dia vivido com amor,
Recordações minhas valiosas.
 
Ouço ainda o sorrir,
Da menina que brincava,
Que tudo queria descobrir,
Do mesmo modo que sonhava.
 
A nostalgia foi o que me ficou,
Do que vivi e deixei por viver,
De outros tempos o que me sobrou,
Como tal jamais os irei esquecer.
 
Momentos bons e maus também,
Tive de tudo para quê ocultar,
A vida não é só o que nos convém,
A todos eles temos que recordar.
 
É bom sentirmos nostalgia,
É sinal que nunca haverá fim,
É antes uma enorme alegria,
É darmos-nos conta que a vida é assim.

SAXON 16-10-2011 MC.BATISTA         

A RAZÃO DO AMOR!!!

 
 
Acordei; ou nem dormi a pensar,
Qual será a razão do amor?
Tento mas não consigo encontrar,
Algo inesplicavel um ardor!

Uma fusão de sentidos,
Um conjunto de emoções,
Lugares desconhecidos,
Ou meramente recordações.

Por uma razão desconhecida,
Todos nós lá vamos cair,
Mas eu estou decidida,
Essa razão irei descobrir.

Passem anos e anos,
Viva o que viver...
Enganos atrás de enganos,
A tudo irei sobreviver!

Será o meu bater do coração,
O simples facto de respirar,
O meu empenho e motivação,
Para essa razão desvendar.

MC.BATISTA 7-4-2011

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

ANJO

Um anjo encontrei!
Sofri e sofri enquanto não apareceu.
Mas chegou de mim não se esqueceu,
O anjo que tanto esperei!
Um anjo vindo do nada,
Talvez, por tanto o desejar,
Acabou enfim por chegar,
Deixando a minha vida iluminada.
Anjo! Um anjo que se revelou,
Trazendo consigo carinho e amor,
A luz que me faltava e o calor.
O socorro que me salvou!
Será então o meu anjo da guarda,
O meu protector e fiel lhe irei ser.
Será a minha luz meu amanhecer,
Por ele e para ele guardada.
Anjo! Afinal sempre vieste.
Eu! Quase, quase a desistir,
Olhei-te atentamente e voltei a sorrir.
Sorriso esse que tu me devolveste.
Obrigada...

SAXON   5-12-2011    MC.BATISTA

E PORQUE NÃO?

 

 
 
Porque não voar?...
 
Planar num sonho o de sentir.
Um sonho sim! Este o de caminhar,
Percorrer a ilusão e existir.
Porque não!?...
 
Quero a ilusão viver,
Mesmo sendo ilusão,
É bela e faz-me crescer.
 
Porque não!? Se sorrio...
Sabem? Não faz mal nenhum!
 
E porque não uma ilusão tentar?
É a minha, talvez,
A de tantos, esta, a do querer voar.
Quero e quero... faz-me bem!
Faz-me sentir viva e mulher,
Uma mulher livre de ninguém,
Que faz o que gosta; escrever.
 
E porque não?
Digam-me!
E porque não?
"Sigam-me"!
Não a mim mas ao acreditar,
Num sonho que pode até ser ilusão,
Minha e de muitos,  mas há que tentar.
 
E porque não?...
Está na hora.

SAXON    5-12-2011        MC.BATISTA

domingo, 4 de dezembro de 2011

FUI...

De encontro ao mistério,
A mim.
É um caso sério,
Fui e vou até ao fim.
Fui levada nas mãos de um anjo,
Em direcção a felicidade e sou feliz.
Sinto-me como flor de um belo arranjo,
Uma palavra a mais bela que se diz.
Rumo na vida sem medo de o ter,
O medo gera medo é um facto.
Fui porque só quero é viver,
Não ser apenas mais um retrato.
Fui... nada espero sem nada esperar,
Também sem nada ter a temer ou perder.
Fui pois desejo ser amada e amar,
O resto! Se houver resto esquecer.
Fui...

SAXON   4-12-2011          MC.BATISTA

OLHEI... OLHEI TANTO!

 
 
 
Noite a noite dia a dia,
Olhei como olhei.
Olhava mas nunca entendia,
Eu, criança na ignorançia fiquei.
Agora mulher continuo a olhar!
O céu infinito e espero,
Que uma resposta vá encontrar,
Perdida a deriva mas quero.
Quero talvez o impossível,
Talvez o que nem existe!
Quero-te a ti meu imprevisivel,
Inatendido, que de mim saíste.
Das entranhas de uma criança,
Que olhei... tanto olhava!
E com uma réstia de esperança,
A olhar o céu infinito ali ficava.
Sou a criança agora mulher,
Que olhei, olhei tanto, tanto!...
O céu infinito quis-me responder,
Disse-me:- olhaste-me, olhaste tanto! Viste o meu encanto.
Fiquei surpreendida e tão tão feliz.
Olhei... olhei tanto foi o que fiz.

SAXON    4-12-2011       MC.BATISTA