terça-feira, 31 de janeiro de 2012

A SÓS CONTIGO


 
 
No mais absoluto do estar...
A sós contigo,
Mais que um amigo,
Meu, meu tão grande amar...

Fundimos-nos na imensidão do querer.
Somos um só sentir,
O mesmo existir,
A sós contigo um sonho viver.

Que é feito de cetim, bordado a ouro!
O meu; o que quero,
O teu; que é sincero,
O nosso; único! O maior tesouro!

Dias intermináveis de pura emoção...
Em que nos completamos,
Que no tempo somos,
Um a sós contigo comigo, com a paixão!

A sós contigo no ar que respiro.
No dia que amanhece,
Na noite que em mim floresce,
A sós contigo! Num continuo suspiro...

Sentindo o mesmo calor que é suor...
Sentindo o mesmo ardor que é amor...
 

SAXON         31-01-2012               MC.BATISTA

domingo, 29 de janeiro de 2012

COMO...

 
Como o ar que respiro...
O sonho me abraça,
Me trespassa,
Como o amor que sinto!
Navego nas correntes da vida.
Deixo-me ir... deixo-me levar...
Já não corro contra elas; sigo-as!
Como uma pluma no vento a flutuar...
A chuva que teima em cair,
Que é fria e quente, tão quente!
Assim sou eu que teima em persistir,
Como sou, como o sei ser.
Não se explica sente-se,
Vive-se, quer-se!...
Como de um nada se faz tudo!
Fazendo do nada tudo para existir.
Tornando o nada doce, veludo,
Por tudo e pelo nada, não desistir.
Como... te aprendi a amar!
Como... aparecestes sem esperar!
Como... o ar que respiro,
Como... em ti respiro, suspiro!...

SAXON      29-01-2012             MC.BATISTA

UM NOVO VIVER...

 
 
Que vem... já chegou!
Um novo viver,
Querer entender,
Que o que passou, passou!

Aprecio-o, quero-o, acolho-o em mim.
No meu mais profundo,
Minhas entranhas, meu mundo,
Um universo meu, sem ter um fim.

Porque heide querer mais!?...
Para quê!
Porquê?...
Um novo viver são também sinais.

Que nos são oferecidos,
Há que os aproveitar,
Que os querer e amar...
Sentindo-os com todos os sentidos!

Um novo viver que apareceu.
Que me faz sentir,
Que acolhi, que é meu...
Um novo viver a florir!

Um novo viver que é ardor sem dor!
Um novo viver meu, teu, que é amor...

SAXON         29-01-2012           MC.BATISTA

sábado, 28 de janeiro de 2012

HOJE

 
Hoje sou brisa! Doce, serena, que se faz sentir...
Já não sou vento, nem ventania,
Já não sou a que na solidão ardia.
Sou brisa! Que envolve o teu corpo sem do lugar sair.
Não sou mais que ontem; sou igual!
Nem menos que amanhã; sou a mesma.
O que fui ontem,serei amanhã, hoje!...
Doce brisa feita amor ultradimensional.
Que nunca antes ninguém prestara atenção.
Brisa esquecida,
Nunca querida,
Vento, ventania, que pesava no meu coração!
Hoje; vejo o luar sentindo-o de outra maneira.
Deixo que me toque, que venha até mim,
Que sem prelúdio me faça brisa enfim,
Acariciando o meu corpo, alma, sem fronteira!
Hoje; sou tua como ontem, amanhã serei...
Sou brisa mulher,
Doce, sereno viver,
Que durante tanto tempo para ti guardei!

Hoje sou brisa! Já não sou vento nem ventania!
Hoje sou brisa! A mesma que antes em mim vivia.

SAXON     28-01-2012              MC.BATISTA

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

JÁ ONTEM ERA TARDE!

 
Sim; já ontem era tarde...
 
 
Corria sem ver,
Vivia sem viver,
Era lume, fogo, e não ardia!

Já ontem era tarde, mas era eu.
Que queria,
Mas não sabia,
Que fazer, como, chegar ao céu.

Então estava, ficava, só e perdida!
Com o meu sonhar...
Cariz baixo com o meu pensar,
Eu, na solidão esquecida!

Até as flores murchavam,
Já não ria,
Nem sentia,
Os meus passos paravam!

Porque já ontem era tarde para acordar.
Já ontem era tarde para ter recomeçado.

Tempo perdido a querer...
Tempo passado sem viver.
Já ontem era tarde para este calor sentir!...
Já ontem era tarde para ao amor resistir!...
... Era tarde não é mais; encontrei-te.
Minha alma meu semelhante, encontrei-te!

SAXON       27-01-2012             MC.BATISTA

ACREDITO


 
Acredito! Deixem-me acreditar.
Que o vento,
É pensamento,
Que a vontade é luar.

Que o sonho nunca pode ser ilusão.
As lágrimas são cores,
De um jardim com flores;
Que tudo é real e não imaginação!

Acredito em contos de fadas.
Existem,
Precistem,
São vidas por nós passadas.

Acredito que a chuva, grãos de areia!
De uma praia virgem,
Invocada, oásis, miragem...
Acredito que se colhe o que semeia!

As estrelas estão ao alcance da mão.
Da minha, da tua...
Que bailam para a lua.
Acredito! Deixem-me acreditar, porque não?

Acreditando tudo faz sentido
O mundo torna-se melhor
Merece, como tal, ser vivido
Regado á pétalas de amor.
 
 
SAXON      27-01-2012                 MC.BATISTA

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ENQUANTO POESIA...

 
 
Sinto! Gosto de sentir.
Universos,
Os meus versos,
Que me fazem existir....

Enquanto pessoa, enquanto ser!
Com manias, defeitos,
Virtudes e feitos,
Enquanto poesia posso viver!

Sou o que sempre quis.
Vejo,
Posso,
Sou eu, pessoa, sou feliz!

Também posso viajar...
Corro o mundo,
O meu profundo,
Sem sequer sair do lugar.

Enquanto poesia é bom!
Bem melhor,
É amor,
É seguir em frente com...

... O sonho cheiro a maresia.
Flores,
Sabores,
De alguém que quer o dia a dia.

Eu, tu, tantos...
... E tão poucos!

Enquanto poesia sou jardim!
Enquanto poesia sou assim!

SAXON       26-01-2012             MC.BATISTA

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

SEI...

 
 
Sei o que sei e pouco mais!
Na minha ignorançia,
Que tem pouca importançia,
Pois sou eu e nem todos somos iguais!
 
Sei tanta coisa e coisa nenhuma.
O que aprendi,
O que já vivi,
Que a vida vive-se porque é só uma.
 
Sei perguntar quando não sei.
Uma pergunta,
Uma resposta,
Mas há ainda tanta coisa que não ousei!
 
Agora, já sei o que é sentir.
Continuo a sonhar,
A querer, amar...
Reencontrei o meu sorrir!
 
Sei o que sei e pouco mais!
 
Ah... Sei ser eu.
O que é meu, o que é teu,
Sei o que sei e pouco mais!
 

SAXON        25-01-2012             MC.BATISTA

PARA SEMPRE AMAR...



Jamais escondida!
Para sempre amar,
Continúo respirar,
Certeza por mim concebida.
Infinito de sentimento bom; o amor!
Que nos de passa,
Ultrapassa,
Que flui e nos transmite calor.
Calor de alma, que não queima.
Intenso, querendo viver,
Reviver, amar... querer.
Chama que não se apaga, teima!...
Mantendo se acesa, sem desistir.
Mostrando quem somos,
O que fizemos, queremos,
E até onde ainda podemos ir...
... Amando! Para sempre amar...
Amando o simplesmente o facto de amar!...
 

SAXON     24-01-2012        MC.BATISTA

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

DESCOBRIR TE ME!...


 
Lentamente suavemente.
Planar num sonho,
A que me proponho,
O de te me descobrir delicadamente.

Invadir o desconhecido...
Sem olhar para trás,
Com coragem, sou capaz;
De me, te descobrir; é merecido!

Quero te, me, descobrir!
Um só seremos,
Assim o queremos,
Juntos, vamos conseguir.

Em ti me descubro! Encanto...
Com o que descobri,
Na subtileza de ti,
Que sou eu, escondida num recanto!

Perdida na escuridão,
Longe, tão longe! Numa outra dimensão.

Descobrir te, me! Me, te descobrir...
Num sonho infinito planar! Ir...
 

SAXON    24-01-2012          MC.BATISTA

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

SEM SOMBRAS!




Caminho na rua sorriso no rosto.
Esboçado,
Não forçado,
Olham-me incrédulos vendo o meu oposto.

Eu feliz; e não me canso de sorrir.
Flutuo no ar...
Meu respirar,
Sem medo do que possa vir.

Já nem existem sombras!
Escuras,
Amarguras,
Tudo brilha, ganhou cor...
A tua nossa, a cor do amor!
Já nem existem sombras...

Quero; e vou continuar assim.
Sem medo do que possa acontecer,
O meu teu sorriso, jamais irei perder,
Eu; sem sombras que assombram até ao fim!

Porque o quero... a ti!
Eu, que és tu e o sorrir escolhi!

SAXON   23-01-2012    MC.BATISTA

domingo, 22 de janeiro de 2012

24 HORAS...



Tantas!... E tão poucas...
Quero mais,
Ventos vendavais,
De vinte e quatro horas; horas loucas.

Que passam por mim me trespassam,
Correm instantaneamente,
Assim como intensamente.
Horas que passam e não voltam!

Com elas quero ir...
Para um lado qualquer,
Para aquele lugar onde possa viver,
Sem ter medo das horas que vão vir.

Vinte e quatro horas a sentir, a sonhar...
Minhas tuas,
Horas desnudas,
Vinte e quatro horas passadas a amar...

Vinte e quatro horas de mistério!
Vinte e quatro horas a sério!

Tantas! E tão poucas...
Que passam loucas...

SAXON     22-01-2012            MC.BATISTA

sábado, 21 de janeiro de 2012

UM BELO DIA...

 
 
Apareces-te, chegas-te!
Vieste do nada,
E eu tão cansada.
Mas tu apareces-te, chegas-te!

Recebi uma mensagem.
Qual o meu espanto,
Que foi tanto,
Que me pareceu irreal, miragem!???

Eu? Como!? Porquê?... Pensava.
Sem perceber,
Nem entender,
Estava ali, mas esperava!

Sem saber muito bem o que esperar,
Eu, que sempre esperei,
Incrédula, pois nunca encontrei,
O que realmente queria; amar...

Não o sabia! Nunca o aprendi.
Não desta maneira,
Tão pura e verdadeira,
Um sentimento; o meu por ti!

Agora, pensem o que quiserem!
É o que sinto,
E não brinco,
Amo, mesmo se não entenderem!

Um belo dia... o amor...
Apareceu,
Renasceu,
A minha vida ganhou cor.

Um belo dia... Apareces-te!
Amor de mim não te esqueces-te!


SAXON      22-01-2012           MC.BATISTA

MAIS UM DIA...

 
 
Mais um dia em que te sinto!
Para sempre eterno,
Primavera, verão, outono, inverno...
Meu tão grande sentir, meu Olimpo!

Que vieste do nada sem avisar.
Trazendo o querer,
Fazendo-me viver,
Ensinaste-me o que é amar.

Mais um dia que é menos um!
Para te ver, sentir...
Um querer, um sorrir.
Mais um dia que é menos um!

Um dia que deixo falar o meu coração.
Pobre dele que estava calado,
Escondido em mim, amordaçado!
Mais um dia... mais uma razão.

Um dia a mais para viver...
Um dia a menos para te ver.

Mais um dia...
Um belo dia...

SAXON    21-01-2012           MC.BATISTA

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

SÓ AGORA?...

 
Sim! Só agora.
Ainda é cedo,
Eu, sem medo,
Chegou a hora!

De ver, querer, sentir...
De para ti olhar,
E no meu vagar,
Simplesmente ir...

Farei o que sempre quis!
Sem tempo a perder,
Terei  a ousadia de viver,
De me primitir ser feliz!

Caminharemos lado a lado.
No mesmo compasso,
Num só espaço,
Meu ser amado!

Tu que és eu...
Complemento de mim,
Sentimentos sem um fim,
De um sentimento que venceu.

Só agora?...
E sem demora!

SAXON     20-01-2012         MC.BATISTA

Nos teus braços



Nos teus braços de homem!
Perco incertezas,
Ganho certezas.
Nos teus braços que me acolhem!

Porto seguro onde posso dormir.
Repousar, dar, sonhar...
...E amar sem duvidar.
Nos teus braços de homem; sorrir!

Ontem, os teus braços já existiam.
Eu é que não te sabia,
E os teus braços não via,
Perdida em sentimentos, rumos, que me evadiam.

Hoje encontrei-te; quero-te ter!
Sem restrições,
Nas emoções,
Que tenho. Quero-te viver!

Amanhã... um sempre! Sereno, querido...
Amanhã... eterno... um partilhar!
Amanhã! Nos teus braços de homem amigo,
Os meus braços, corpo alma, te vou ofertar.

Nos teus braços me entrego e sou...
Eu, a menina que com eles sempre sonhou!...
 

SAXON     20-01-2012         MC.BATISTA

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

ESPERA! OUVE!...



Espera, ouve!... Não vás ainda.
Não antes de te dizer,
Que és a minha vida o meu viver.
A coisa que me aconteceu de mais linda!

A minha vida estava triste, de pernas pro ar.
Tu apareceste,
Amanheceste,
A minha vida. Devolveste-me o sonhar.

Espera! Ouve... chamo por ti!
Grito se preciso for,
Não te vás, dá-me o teu amor!
Olha-me uma só vez; sou eu, estou aqui!

Espero! O que sempre quis e sonhei...
Pacientemente,
Impacientemente,
A ti! Que és quem sempre aguardei.

Espera! Ouve!... Devolve-me o sorrir.
Não vás ainda; quero sentir, quero existir!

SAXON     19-01-2012      MC.BATISTA

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

INCERTEZA DE AMAR...

  1.  
  2.  
  3. Na noite sou a rainha.
  4. Da escuridão a companheira.
  5. O sofrimento é o meu amigo,
  6. E de ti coração a conselheira!
  7. Digo-te para não amares e tu amas,
  8. Digo-te para me deixares e não me largas.
  9. Digo-te para parares, tu, continuas!
  10. Sei que não sou feliz com medo de o ser,
  11. Sei que não amo com medo de sofrer,
  12. Sei que sou louca por não sentir,
  13. Por não amar com medo de perder!
  14. Mas sei que mais louca sou;
  15. Por me deixar envolver pelo teu olhar,
  16. Por me deixar outra vez iludir,
  17. E novamente cair nas garras do amor!
  18. E como sempre, eu, a louca acabar por sofrer!

Valpaços   27-9-1997             MC.BATISTA

TER-TE COMO NUNCA O OUSEI!

 
 
Como sempre quis! E nuca o ousei!
Eu mulher,
Eu ser,
Com vontade, aquela, que tanto desejei!

Percorro-te a ti corpo de homem, o meu!
Em ti delirar,
Amar e amar...
Ser lava ardente num corpo; que é o teu!


Sedento de ti...
Entrego-me!
No teu corpo nu, perco-me!

Quero sentir o que nunca senti.


A minha boca, os meus lábios querem-te beber.
Num impulso, muito meu! Rápido, continuo, guloso,
Beijo-te, sinto-te, acaricio-te... és bom, saboroso.
Eu, qual animal selvagem, louca, que só te quer ter.

O teu cheiro de homem, o meu homem, dá-me vontade de mais...
A minha tua respiração torna-se intensa e suspiro,
Sei o que quero, o que queres, e extasiada respiro!
Grito de prazer meu teu, nosso! Sentindo que somos iguais.

Penetras-me fortemente, entras-te em mim!
Recebi-te inteiramente, foste meu até ao fim!

Possuídos por tamanho calor...
Corpos suados,
Corpos enlaçados,
Do mais puro e belo amor...

E num abraço sentido iremos descansar!
E para todo o sempre recordar o que é amar!

SAXON   18-01-2012         MC.BATISTA

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

ONTEM FIZESTE-ME...



Senti-te! Fui tua.
Tomada num ardor,
Que foi amor sem pudor,
Vi o sol, as estrelas, fui a lua!

Chamem-me louca, sou loucura!
Por ti,
Em ti,
Minha extravagançia, minha doçura!

Ontem foste o meu maior querer.
Desejado,
Esperado,
Um respirar o meu maior viver.

És tu; sinto-o, sei...
Aquele amar,
O partilhar,
De tudo que me dás, que te darei!

Pensem o que pensarem,
Julguem o que julgarem!
Ontem foste e serás sempre...
A minha loucura doçura permanente!
Ontem fizes-te ser eu, sentir!...
... O quanto é bom existir!...
 

SAXON     17-01-2012         MC.BATISTA


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

MOMENTOS...

 
 
Calo em mim momentos!
Meus, tão meus...
Que permaneceram meus!
Entre sois, chuvas, e ventos!

Nesta caminhada, que é a vida,
Tempestuosa,
Misteriosa,
A minha! A de muitos vivida!

Ficam momentos...
Doces, amargos, insípidos!
Sem qualquer razão, até estúpidos,
Mas momentos...

Que nunca se apagam.
Nem se devem apagar,
Momentos que irão sempre ficar,
Momentos que se viveram!

Quero muitos mais ter...
E terei,
Eu sei,
Momentos para nunca esquecer.

Contudo, quero ainda mais!...
Aquele momento,
Aquele firmamento,
De ser e sentir que somos iguais.

Aguardo-o! Com tamanha alegria.
O meu momento, o que mais queria!
Momento de viver...
Momento de te ver...

SAXON     16-01-2012          MC.BATISTA

domingo, 15 de janeiro de 2012

E SE FOSSEMOS...

 
E se fossemos todos mais sonhadores?
Não tão mesquinhos,
Não tão sozinhos,
Se ousássemos ter, conservar valores.

E se podessemos voar?
Que faríamos,
Que diríamos,
Iríamos para qual lugar?

E se nem ligássemos ao que possam dizer?
Fazer orelhas moucas,
Pois são vozes roucas,
Que queriam o mesmo sentir, o mesmo ter.

E se fossemos... sem deixar de ir!...
De encontro ao calor,
Que não é mais que amor,
E se fossemos... sem deixar de resistir!...

O mundo seria bem mais diferente.
Haveria lugar para todo a gente.
E se fossemos...
 

SAXON   15-01-2012         MC.BATISTA

sábado, 14 de janeiro de 2012

POR TI...

Por ti! Em ti...
 
 
Renascer,
Viver,
Sei, que para ti nasci.

Por ti o meu coração voltou a bater.
A pulsar,
A amar,
Sem por ti de mim me esquecer.

Todas as estrelas ao alcance da mão;
Que se estendeu,
Que me ofereceu,
O muito... tudo, ao meu triste coração!

A escuridão deu lugar a claridade.
Que sinto,
Não minto,
A minha tua, nossa tão grande verdade!

Por ti!... Em ti!...
Me completo,
Céu aberto...
Desde o momento que te senti.

Por ti, me encontrei, por ti espero!
Por ti viverei... porque te quero!

SAXON   14-01-2012        MC.BATISTA

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

A PUREZA...



Respiro fundo! E lentamente...
Num respirar,
Que é amar,
A pureza vem suavemente!

Está num gesto, olhar, sorrir...
Em mim, em ti, e em ti!
Num mínimo detalhe percebi,
Que no certo, incerto, no que há-de vir...

A pureza brota em todos os seres.
Basta querer,
Basta querer ser!
Sem inventar, sem dela te esqueceres.

Pureza nunca foi sinonimo de fragilidade!
É e será sempre antónimo de maldade!
Pureza! Leve, fresca, que irradia...
A escuridão, sofrimento e voltamos ao dia...

SAXON        14-01-2012         MC.BATISTA

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

PORQUE TE AGUARDO...




Aguardo-te enquanto espero...
Aguardo-te,
Guardo-te,
Meu viver! Que tanto quero!

Minha noite de luar.
Noite escura,
Que perdura,
Enquanto aguardo o teu chegar.

Na imensidão do tempo...
 
Que não passa,
Que passa!...
Como passa por mim o vento.

Vagueio por entre os dias;
Que são meus,
Muito teus!
Fingindo que os vivo.

Porque te aguardo minha luz...
Talvez ilusão,
Talvez imaginação,
Do mais belo poema que compus.

Aguardo-te!
Guardo-te!
Meu viver...
Sem esquecer...
Porque te aguardo meu existir....
Porque aguardo guardo o meu sorrir!...
 

SAXON     12-01-2012          MC.BATISTA

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

A MINHA CANçÃO

 
 
Ouço-a...
  
Alegre e triste,
É minha existe,
Sinto-a!

Em cada nota um pedaço.
Do tanto,
Do quanto,
Se vai perdendo no espaço.

Que é; que foi meu...
Minha canção,
Minha emoção,
Tão minha que sou eu.

Por vezes fraca!
Por vezes forte,
Entregue a minha sorte,
Ao mistério que me abraça!

Ouço-a no dia claro.
Na noite escura,
No calor na frescura,
No muito e pouco que separo.

Nunca a deixo de ouvir...
... Assim como nunca a deixo de sentir...

SAXON      11-01-2012         MC.BATISTA

FÉNIX

 
 
Ave rara, mitológica...
Renasce das cinzas,
Que a destruíram, aniantiram,
O seu belo voar...
A sua cor;
Fogo escaldante, brilhante,
Que por entre labaredas,
Nos transporta, nos faz sonhar.
Qual fénix! O poderíamos ser!
Renascer das cinzas de um vulcão.
Ter um pouco dela,
Ser um pouco dela!
Sem deixar espaço á escuridão.
Voar... voar...
Sem medo de existir,
Por entre labaredas ir...
Ter, ser a força! E continuar.
Ave rara mitológica; mulher!
Uma inspiração ao querer viver!

SAXON      11-01-2012           MC.BATISTA

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

TER OU SER?...


Ter...
Facultativo,
Superlativo,
Nunca te deixes depender.

Ser...
Realidade,
A tua verdade,
Que nunca podes esconder.

Sou como o ser que sou!
Humano com defeitos,
Humano com conceitos,
E de encontro a eles vou!

Tento do ter me abstrair.
Nada fácil,
Difícil!...
Ao ter resistir.

O ser o que diz?
Quem és,
O que não és!
E com ele és feliz.

Ter ou ser???...
 
Ter, efémero!
Passa nunca permanece.
Ser, eterno!
Perpétuo, nele tudo se esclarece.

SAXON    10-01-2012           MC.BATISTA

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

AMO-TE!...

 
 
Amo-te sem saber como começou,
Este em ti existir,
Sem medo de ir,
De encontro ao amor que me chamou.

Como nunca pensei amar...
Loucamente,
Perdidamente,
E no mesmo compasso respirar!

Dois corpos, a mesma alma.
Sentidos,
Perdidos,
Na loucura da noite calma.

Num sonho... que é real!
O meu,
O teu,
O nosso sonho magistral.

Amo-te porque sim!
Semelhantes,
Amantes,
Juntos até ao fim!

SAXON   09-01-2012           MC.BATISTA

A LÓGICA DAS COISAS!...

 
O mundo altera-se mas tudo tem lógica.
Sim, é tudo obviamente lógico e continuará a ser!
O mundo gira, os papéis invertem-se, nada há a fazer!
A lógica das coisas!... E as coisas têm lógica?
Não seremos todos um pouco(muito) loucos?!...
Eu, sou suficientemente louca para admitir que sim.
Então e tu? E tu;  todos vocês? Admitam-no, para quê ser assim!
A lógica das coisas continuará mesmo se for-mos poucos.
De nada adiantará á lógica das coisas fugir,
E para quê? A lógica é, e será, sempre a que lhe quiser-mos dar,
Nem mais nem menos, só a que lhe queremos consagrar.
Pois a verdadeira lógica é a de existir!
Dessa não podemos fugir!
Gosto de coisas com lógica se não...
... Não têm lógica mas continuarão!
Mundo de coisas lógicas!
E também de coisas ilógicas...

SAXON       10-5-2011          MC.BATISTA

AUSÊNçIA

 
Na ausência de tudo e do nada,
Do que tens e do que queres ter.
Ficas ausente e baralhada,
Só não te ausentes é de viver!

Achas que a ausência compensa?
Não te tornes ausente, não te evapores!
Vive; sê tu mesmo, mostra a diferença.
Outros dias virão conserteza; dias melhores!

Convive com ela sem te deixares ir,
Mostra a tua força, dá o teu melhor!
Será uma ausência que te fará desistir?
Ausência de quê? Do amor!!!?...

Sentimento que por vezes nos faz mal,
Sem ele tudo se torna mais claro, tenta pensar!
Um sentimento ambíguo; mas afinal,
Se te ausentas nunca poderás constatar!

SAXON         27-3-2011         MC.BATISTA

domingo, 8 de janeiro de 2012

DESDE SEMPRE

De quase sempre... de sempre!
No silêncio, na solidão.
Passam os anos e eu desde sempre,
De tenra idade, não o sei!
No silêncio que não me assusta,
Na solidão que tão pouco.
Quando dou por mim estou só e escrevo.
Desde sempre que gosto do mundo do silêncio,
Consequentemente!... Da solidão.
Tive e tenho momentos de socialização,
São momentos! Pois no meu intimo estou só,
No silêncio, neste meu silêncio e solidão!
Não impostos,
Nem sobrepostos.
Desde sempre... de quase sempre!
Que estou só e escrevo.
De tudo e de nada,
Para não me esquecer,
Para continuar a viver.
Desde sempre, de tenra idade;
De quase sempre, mas até gosto.

MIRANDELA    07-07-2011     MC.BATISTA

O que faço!?

 
Com exactidão não o sei.
Faço-o regida pela paixão, pelo amor,
Com desejo e ardor, tentando o melhor.
Em troca espero o mesmo.
Que me façam sentir,
Que me deixem viver e sorrir.
Se por algum motivo cair,
Sei que de novo me irei reerguer,
Acompanhada ou só; terei que o fazer.
Nunca; por nada desistirei de viver!
O que faço, com exactidão não o sei!
Tento responder á vida,
O que por vezes me é difícil,
As vezes, ingrato até!
Contudo é a vida e é como é.
Faço-o por mim,
Pelos que amo,
Sou feliz assim.
O que faço?
Com exactidão não o sei!
Digam-me voçes! Eu; esperarei.
 

MIRANDELA       7-8-2011         MC.BATISTA

DÚVIDAS???...

 
 
Percorro léguas e léguas...
Por caminhos incertos,
Sempre vigilante, atenta,
Cheia de dúvidas!
Olho uma nova vez,
Mais uma.
Penso mais um pouco,
E... as dúvidas continuam!
Como por ironia;
Lá continuo eu, e as minhas dúvidas!
Percorro léguas e léguas...
Apreendendo a cada passo,
A cada trambolhão,
A cada dúvida.
Mesmo cansada, tenho força para continuar,
Eu; cheia de dúvidas...
As minhas,
Mais as tuas,
Todas as que há,
As que podem nem existir!
Contudo dúvidas...
Delas não consigo fugir.
Percorro léguas e léguas...
Vigilante, atenta e cheia de dúvidas!
Dúvidas que fazem crescer.
Mesmo com elas, no meio delas,
O importante é viver....

SAXON      31-8-2011        MC.BATISTA

sábado, 7 de janeiro de 2012

FLOR, TU!



A mais bela, deslumbrante...
Flor,
Esplendor,
Aquela, brilhante, inebriante!

Cheiro a campo,
O teu,
Que rompeu,
Fronteiras e deu tanto.

Flor sem igual, tu sem igual!
Indescritiva,
Escolhida,
Minha, rara, real!

Já a teria eu visto!?
Talvez! Sim! Não!
Minha flor, minha emoção,
Nela e por ela, vou, presisto.

Nesceu no encontro!
De almas,
Houve palmas,
Para festejar o reencontro!

Flor, tu...
Olhos meus,
Sentidos teus,
Flor, tu!

SAXON   07-01-2012     MC.BATISTA

DESARMADA!

 
 
O teu olhar desarmou-me.
Fiquei exposta,
Sem resposta,
Para me defender!

Á muito que não sentia;
Se senti,
Esqueci,
Para quê viver como vivia?

Deixaste-me desarmada;
Rendida,
Perdida,
Ansiando por ser amada!

Agora, a noite fria...
Ficou quente,
Bem diferente,
Como por magia.

És um sonho tão meu!
Real,
Excepcional,
A desarmada sou eu!

Nem a minha armadura,
Me defendeu,
Me escondeu,
Deixando-me assim insegura.

Desarmada pelo teu olhar...
Preparada para te amar...

SAXON  06-01-2012          MC.BATISTA