quinta-feira, 23 de maio de 2013

FALOU O AMOR...




Disse-me então:
- Vem, vem, para junto de mim...
Sou o infinito,
Tudo que há de mais bonito,
Uma escolha; o teu sim.
Respondi-lhe com prontidão! :
- Porque devo eu ir!?
De ti nada sei,
Podes ser um fantasma que cruzei,
Que só me quer é seduzir!
- Não, não... sou verdade,
A tua. Podes é não querer ver,
Vem comigo e faço-te nasçer.
Lá de onde venho, não há senão amabilidade.
Falou o amor... e eu ouvi!.
Mas de todas as noites que já vi,
Poucas aquelas que tinham estrelas a brilhar!
Eram perdidas, noites de escuridão,
Esqueci que também tinha coração,
Por isso; como podia eu amar!?
Retorquiu o amor...
- Vem... sou luz, segue-me.
Disse-lhe então:
- Se for; ensinas-me?

Mc.Batista
Saxon (21-5-2013)

VALSEMOS OS DOIS




Esta é a dança do amor...
Entrega-te nos meus braços,
Esquece dores e cansaços,
Nesta pista, vamos fazer furor.

Ao som da valsa vamos dançar...
Sente os nossos corpos que pedem mais,
Passo aqui, volta ali, somos iguais,
No mesmo compasso somos vibrar!

Dá-me a tua mão,
Descobre o meu coração,
O amanhã, é agora!...

... O sempre, o infinito,
E... esta valsa o que há de mais bonito,
Por isso, valsemos os dois, chegou a hora!

Mc.Batista
Saxon (20-5-2013)

sexta-feira, 17 de maio de 2013

FLOR BELA

 
 
Livre... pétalas ao vento.
És tu a flor bela,
Imagem, aguarela,
Um sonho... o meu, momento!
 
Quantas as vezes eu te fui ver...
Sentir o teu odor,
Maravilhar-me com a tua cor,
Lá no monte onde te via crescer.
 
E... a cada primavera, tu chegavas,
Flor bela, campestre, por mim esperavas,
Até parecia mesmo, que me querias falar.
 
Como gostava de falar contigo!
Poderia, para os outros, nem fazer sentido,
Para mim; ninguém, pode imaginar!
 
Flor bela, já não sou a criança que te visitava,
Mas, sei ainda, o caminho que até a ti me levava!

Mc.Batista
Saxon (16-5-2013)

quinta-feira, 16 de maio de 2013

No AZUL...

 
Mergulhei no azul do mar.
Azul profundo, intenso, imenso...
... Que chamava por mim!
Saltei no azul do céu.
Suave, puro, brilhante...
... Como a mais bela pluma a flutuar!
Quis, tocar no azul...
Azul meu,
Meu sonho, meu diamante.
E aí descobri, que o azul...
 É mais... é um sem fim!

Mc.Batista
Saxon(16-5-2013)

terça-feira, 7 de maio de 2013

ANOITECE



 
Desmaia o furor da aurora,
Numa tristeza que já vi.
Desfolhada no tanto que já senti,
Multiplicada no dia, no ontem, no agora!
 
Desfilam perante mim sonhos, quereres...
Em busca de uma tal de felicidade,
Porém só encontro uma tal de saudade,
Que me leva os dias e me deixa anoiteceres!
 
Ah! Eterno procurar...
Talvez uma utopia, num olhar...
Talvez, mesmo, onde não há!
 
Assim, aos poucos, anoitece.
No dia uma alma adoece,
Na noite desmaiada, fica lá!

Mc. Batista
(Saxon 06.05.2013)

SONETO Á MINHA MÃE



 

Grandiosa...
Mulher coragem,
Nos olhos trás a imagem,
Do que é; Mãe Amorosa.

Os anos passaram por ela e por nós.
O tanto que se entregou,
Aos filhos com nada faltou,
Sempre nos deixou livres mas nunca sós.

Mãe... o teu sorriso, o teu Amor.
Tudo que deste, fruto do teu suor,
Nunca, jamais irei esquecer...

... Não esquecerei, os manos também não,
Mãezinha querida és parte do meu coração,
Como tal, parte da minha alegria, do meu viver...

Saxon  3-52013
Mc.Batista

INTENSO...




Cai um peso em mim...
Um saber nunca alcançado,
Mistério inacabado,
Intenso, um sem fim...!
 
Segundos; viram horam, dias...
Noites; escuridões,
Onde lavo emoções,
Em águas limpídas...frias!
 
Ele, o intenso, sempre me apanha,
Num mundo sou a estranha,
Olho-me, sem me saberem ver!
 
Então, este peso torna-se mais forte,
De um intenso cruel, quase morte,
Tirano, que não me quer deixar viver!
 
 
Mc. Batista
(Saxon 06.05.2013)