quinta-feira, 9 de agosto de 2012

LÊ-ME



A cada palavra que eu diga!
Decifra-me a cada gesto,
mesmo no silêncio; lê-me...!
Sou livro ainda por ler, por descobrir.
No corrodopio da vida esqueceram-se de mim,
de me abrir, de me ler...
Tempo fechada, empoeirada,
tanto para dar e não dei;
porque ninguém, nunca, me leu!
Lê-me tu...! Por ti quero ser lida.
Abre-me, desfolha-me, desnuda-me,
a cada pagina sou sentir...
E... dar-te-ei aquela vontade louca de viver!
Não tenhas medo, decifra-me, descobre-me,
Lê-me...!

Saxon    8-6-2012
Mc.Batista

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Grata Amigo João Paulo Videira pelo comentário.
      Bom fim de semana :)

      Eliminar
  2. ao amar em te ler, leio em suas palavras, alguns de meus amores...

    ResponderEliminar
  3. Lindo! o livro esquecido lembrei agora de 2 das 5 leis de Ranganathan ele diz que: Os livros são para serem usados.Para cada leitor o seu livro e casou casou com o verso. Lê-me tu...! Por ti quero ser lida.

    ResponderEliminar
  4. Alguém louco pra ser amada.Decifra-me a cada gesto,

    ResponderEliminar